Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

POETA É O POVO

POESIA

POETA É O POVO

POESIA

30
Mar16

NOITE DE FADO


sopa-de-letras

game_icon-ID-51-1405666546.jpg

 

Naquela noite de fado,

ardia na nossa mesa

uma vela pequenina;

E eu, feliz a teu lado,

enlevado na pureza,

do teu olhar de menina.

A voz quente da cantante,

soava em nós como apelo

incendiando desejos;

um poema insinuante,

um verso sentido e belo, s

ugere troca de beijos.

Lenta a viola tangia,

refreando o andamento

da guitarra buliçosa ;

No ar paira uma magia,

Que embriaga o sentimento,

da nossa alma ansiosa.

Este fado, velho canto,

que gosto desde menino,

tem fala intemporal ;

Que não se perca o encanto…!

Façamos nós o destino,

que não queremos fatal.

Naquela noite de fado,

revivemos velhos sonhos,

provocámos os sentidos;

E cada tema cantado,

tinha um sabor a medronhos,

nos verdes anos colhidos.

 

Cascais ,18.07.1993

Joaquim Isqueiro

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D