Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

POETA É O POVO

POESIA

POETA É O POVO

POESIA

07
Dez13

HOJE NAO


sopa-de-letras

Domingo, 28 de Outubro de 2012
HOJE NAO, MEU AMOR, HOJE NAO

 

 

 

Hoje nao venhas bater-me `a porta

Nao venhas interrogar o meu olhar

Tenho a alma rastejando quase morta

Buscando algo que a ajude a levantar

 

Hoje nao venhas falar de amor

Ha chagas abertas no meu coracao

Nao pises, distraido, sobre a dor

Que doi e se contorse em tua mao

 

Hoje nao, amor da minha vida

Hoje nao sou tua , nem de ninguem

Sou apenas uma sombra perdida

Esperando o milagre que nao vem

 

Abro os bracos ao universo

Pedindo sua ajuda e proteccao

Que a dor expressa neste verso

Possa enfim, chamar sua atencao

 

Nao sei se hei-de viver ou morrer

Igual peso nos pratos da balanca

Vivendo, morro por te nao ter

Morrendo, vivo na tua lembranca

 

Hoje, nao  toques a campainha

Quero viajar ao fundo de mim

Penetrar nesta dor apenas minha

Perpetua-la,........... ou de uma vez por todas, .......dar-lhe um fim.


BL

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar