Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POETA É O POVO

POESIA

POETA É O POVO

POESIA

08
Dez13

ESTUDANTES


Maria Letras sopa-de-letras

Gentilmente cedido por José Frota

"ESTUDANTES"

DE FLORBELA ESPANCA

Porque me é impossível acabar hoje, como era minha pretensão, o último texto sobre Florbela Espanca, por estar acometido de forte gripada, febre e muitos arrepios de frio, não quero deixar passar este dia sem aqui marcar presença, revelando um soneto que ela dedicou aos seus antigos colegas, alguns anos depois de ter deixado o nosso Liceu e que tão mal conhecido é. Aí vai então



Colegas do passado! Em vossas capas belas
Agoniza o luar das minhas ilusões...
Cantando brandamente a um filho das estrelas
Um canto todo meu! Altivos corações,

Brilhantes olhos lindos,almas só de luz.
Ó doce riso em flor, bendita mocidade!
Eu lanço sobre nós, da humilde cruz
A bênção sacrossanta ungida da saudade.

Andorinhas do céu que o vento da desgraça
leva para longe! A amargorosa taça
do fel, da desdita, fica para mim somente.

Aonde estareis vós, agora, amigos do outrora,
Rindo, talvez cantando enquanto est'alma chora
Rezando enternecida esta oração dolente!...

                                                 Estarás para sempre nos nossos corações,

 

                                                          colega Florbela Espanca

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Em destaque no SAPO Blogs
pub