POETA É O POVO
POESIA
23
Ago 17

28305_fado_maiopr.jpg

 

 

Sou triste por natureza
Alegre por vocação
Mandei embora a tristeza
Floriu meu coração

 

Naquele dia marcado
Pelo ferro do destino
Começava o nosso fado
Terminava o desatino

 

Tantas vezes nos cruzamos
Pelos caminhos trilhados
Mas nunca nos encontramos
Por não estarmos preparados

 

Era preciso sofrer
Para, então, se dar valor
Ao que estamos a viver
A este, tardio, amor

 

Instantes hoje vividos
Amanhã serão memória
E para sempre sentidos
Na alma da nossa estória

 

Hoje vamos lado a lado
Seja lá para onde for
Vivemos o nosso fado
Em tons de Fado Maior

 

23.08.0217, BMVL

publicado por sopa-de-letras às 08:49
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
6 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
comentários recentes
Estamos sempre a tempo de ser felizes.
Ta...ta...ok...ta.... I love you...
Jorge Miguel....falamos la dentro ....ta????kkkkkk...
Isabel querida, obrigada pelas tuas palavras. Esto...
Pessoalmente fiquei abismado... nao porque duvide ...
Querida mana do coraçao ,já chega de sofrimento,tu...
Obrigada por visitar e comentar.Sinta-se em casa.
Évora é a nossa Mátria!http://aquem-tejo.blogs.sap...
Muito obrigada pelo seu comentario , meu amigo. Eu...
Olha que surpresa agradável me faz a amiga M.V.Let...
blogs SAPO