Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POETA É O POVO

POESIA

POETA É O POVO

POESIA

04
Set15

SETEMBRO


sopa-de-letras

(imagem retirada da internet em busca no google)

 

DO LADO DE LA DA MINHA JANELA

AS FOLHAS SOLTAM-SE DA RAMAGEM

ROLAM SOBRE A SUA COR AMARELA

TINGINDO E MUDANDO A PAISAGEM

 

A BRISA ARREFECIDA TRAZ SETEMBRO

O TEMPO CORRE,  SEMPRE, VELOZ

EU DEFINHANDO ENQUANTO LEMBRO

O SOM MELODIOSO DESSA VOZ

 

SAUDADE DOLORIDA TAO PRESENTE

TEU CORPO QUE NAO VEJO AO ACORDAR

DESEJO LOUCO QUE MEU CORPO SENTE

E A CADA AMANHECER TE VAI BUSCAR

 

ES PARA MIM O TUDO E O NADA

A QUIMERA QUE ME MANTEM VIVA

ES A FELICIDADE INVENTADA

DESTA ALMA TAO SINGELA E TAO ALTIVA

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

-POESIA

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D