POETA É O POVO
POESIA
22
Jan 16

amalia_03.jpg

 

Quando a guitarra a chorar
Chama p’lo fado vadio
Ele vem sem exitar
Quer esteja calor ou frio


Se por acaso estiver
Em algum canto sozinha
`E por certo por saber
Que o fado ja se avizinha


Num mundo de falsidade
Nem da para acreditar
Em tanta cumplicidade
Em tanto amor a entoar


A voz timbrada do fado
E as cordas a vibrar
Sao o soluco abafado
De quem nao pode chorar


Gritos soltos ao vento
Paixao vibrando no ar
Um beijo em cada lamento
Ternura no seu beijar


Podem pois acreditar
Nesta minha afirmacao
Seja a cantar ou a chorar
Sao dois num so coracao


MP-07.08.2015
Ciclo do fado

publicado por sopa-de-letras às 23:30
Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
6 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
comentários recentes
Estamos sempre a tempo de ser felizes.
Ta...ta...ok...ta.... I love you...
Jorge Miguel....falamos la dentro ....ta????kkkkkk...
Isabel querida, obrigada pelas tuas palavras. Esto...
Pessoalmente fiquei abismado... nao porque duvide ...
Querida mana do coraçao ,já chega de sofrimento,tu...
Obrigada por visitar e comentar.Sinta-se em casa.
Évora é a nossa Mátria!http://aquem-tejo.blogs.sap...
Muito obrigada pelo seu comentario , meu amigo. Eu...
Olha que surpresa agradável me faz a amiga M.V.Let...
blogs SAPO