POETA É O POVO
POESIA
06
Jan 16

Ai Portugal velhinho
Que condão é esse teu
Que deixas partir sozinho
Quem, de si, tanto te deu?


Tão hospitaleiro és
Tens tão grande coração
Tiveste o mundo a teus pés
E hoje nada tens na mão


Asa curta de galinha
P’ros filhos agasalhar
Nem p’ro pão dá a farinha
Resta apenas emigrar


Lá longe não falta o pão
Ao corpo nao falta nada
Mas em cada coração
Falta o sol da pátria amada


Falta o cheiro dos trigais
Da terra quente no verão
Do mar e dos matagais
Da sardinha no São João


Não há terra como a nossa
E a gente morre de saudade
Vai rezando p’ra que possa
Voltar um dia mais tarde

 

MP-13.11.2015
Ciclo da terra

publicado por sopa-de-letras às 22:00
Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
6 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
comentários recentes
Estamos sempre a tempo de ser felizes.
Ta...ta...ok...ta.... I love you...
Jorge Miguel....falamos la dentro ....ta????kkkkkk...
Isabel querida, obrigada pelas tuas palavras. Esto...
Pessoalmente fiquei abismado... nao porque duvide ...
Querida mana do coraçao ,já chega de sofrimento,tu...
Obrigada por visitar e comentar.Sinta-se em casa.
Évora é a nossa Mátria!http://aquem-tejo.blogs.sap...
Muito obrigada pelo seu comentario , meu amigo. Eu...
Olha que surpresa agradável me faz a amiga M.V.Let...
blogs SAPO