Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

POETA É O POVO

POESIA

POETA É O POVO

POESIA

19
Mai16

A MAE DO FADO


sopa-de-letras

imagem pombagira.png

 

Muita gente vai ao fado

Mas poucos sabem, talvez

Que esse seu tom magoado

Vem do destino cruzado

Entre a dama e o maltez

 

Na doçura ela trazia

Dos campos do Alentejo

Calor e melancolia

E ao olha-lo descobria

Amor profano e desejo

 

Ele cigano de raça

Traz no olhar as lonjuras;

Ela uma vida devassa,

Enreda-se na fumaça

Do sonho das suas juras

 

Eis que na Mouraria

Entre a mais dura pobreza

Cruza-se a melancolia

Com a rufiagem vadia

Nasce p'ro fado a princesa

 

Curta vida e desgraçada

Maria Severa viveu.

Contudo será lembrada

A cada nova guitarrada

E no fado que nos deu !

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

-POESIA

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D